Click here!

Se quiseres podes ver as minhas "histórias". Clica em "Minhas Histórias"!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Como Desaparecer Completamente - Demência (Cap. IV)

O negrume predominava durante a minha queda. Eu bradava tentando, inutilmente, alcançar algo que me fizesse parar de cair naquela espécie de poço interminável que me fazia sentir calafrios e me assustava. Abruptamente as minhas costas embateram em algo. Ainda assustada, tacteei com as palmas das minhas mãos o que me suportava. As minhas mãos pousaram subtilmente sobre uma grossa camada de ervas. Levantei o meu tronco e mirei o local onde me situava: uma densa camada de ervas elevava-se subtilmente cerca de meio metro acima do solo. Estas adejavam ao sabor da brisa. Levantei-me para perceber melhor onde me situava e mirei as minhas roupas. Nunca as tinha visto. Desta vez, envergava um novo vestido: branco, repleto de rendas que o ornamentavam tão subtilmente dando-lhe um impacto visual fabuloso. Os meus pés estavam calçados com umas sabrinas cor de pérola com um enorme laço pendente. Estranhei aquela indumentária. Nunca tinha envergado cores tão imaculadas, tão simbolizadoras de vida e paz. Com curiosidade, tacteei o meu cabelo, apercebendo-me que me caía sobre os ombros sob a forma de ondas. Logan preferia o meu cabelo da forma natural.
Comecei a caminhar sobre as ervas, ouvindo constantes estalinhos devido à minha locomoção sobre pedaços pequenos de ramos de árvores que haviam sido levados pelo vento. Por vezes, assustavam-me. Por vezes, julgava ter alguém a perseguir-me. Eu conseguia ouvir alguns passos para além dos meus. Porém, sempre que me voltava para verificar a presença de alguém, não via ninguém e não havia sequer hipótese de se esconder, uma vez que o único local com possibilidade de se esconder situava-se a alguns quilómetros, numa floresta repleta de pinheiros mansos, eucaliptos e sequóias. 
A brisa começou a intensificar-se e eu conseguia ouvir o burburinho inquietante das ondas a embater contra as rochas. Enchi os pulmões com essa brisa. E, como que por magia, pensamentos agonizantes, nunca antes vividos por mim inundaram a minha mente, produzindo uma dor de cabeça tão forte, tão agonizante que me encolhi como um ouriço-cacheiro deitando-me nas densas ervas, pressionando as têmporas e lançando impropérios aos quatro ventos e questionando-me por que razão aquela dor de cabeça me assolava. Um grito agudo irrompeu da minha garganta e as aves saíram das copas frondosas e verdes das árvores, batendo as suas majestosas asas incessavelmente. Na verdade, após esse grito, esse acto de desespero, a dor de cabeça atenuou. Estirei-me, abrindo os meus braços deixando-me ficar deitada no solo. As lágrimas começaram a irromper-me dos olhos sem eu ter qualquer razão. Aliás, eu nem sabia quem era, o que fazia, onde estava nem o que tinha acontecido. 
Cerrei os meus olhos e deixei a minha mente sossegar. Finalmente a dor começava a atenuar-se e estava a sentir-me realmente melhor. Inesperadamente, ouvi alguém pronunciar o meu nome de uma forma bizarra. 
"Ash", dizia a voz totalmente desconhecida e distorcida. "Ash", voltava a repetir de uma forma mais rude. Levantei-me freneticamente e comecei a correr. Algo me dizia que aquilo não era bom. Ao longe, os malditos espectros elevavam-se. Olhei em meu redor na expectativa de levar a cabo a minha fuga, no entanto eles surgiam de todas as direcções e não proferiam palavras em latim como era habitual. Pronunciavam o meu nome. Finquei os meus pés ao solo. Não fazia sentido fugir de algo que eu supunha ser mau mas nem sequer tinha provas. Apesar do meu medo inexplicável, tentei mostrar-me forte, esperando que os espectros me alcançassem. O coro interminável de vozes, inexoravelmente, alcançou-me, fixando os seus negros olhos nos meus. Eu olhava-os de esguelha. Eram cópias exactas. Os seus temíveis olhos contrastavam com a sua pele cor de cal, quase transparente. Não possuíam boca. Não fazia ideia de como pronunciavam o meu nome. As suas mãos encontravam-se atrás das costas. Todos eles fitavam um membro que se encontrava precisamente à minha frente, franzindo o seu sobrolho e olhando-me com desdém. Eu tremia. O medo daqueles seres era indescritível. Ouvi um som. Algo saiu de uma copa de uma árvore. Olhei de relance e senti algo perfurar-me o abdómen. Emiti um som oco com a minha boca e as minhas mãos acorreram ao local. Baixei o meu queixo, deparando-me com um ferro ferrugento cravado no meu abdómen, largando sangue sobre as minhas mãos e sobre o meu vestido. A dor era agonizante, pelo que tentei retirá-lo com as minhas mãos. Olhei para o suposto chefe e com um olhar duro e insípido fez com que o ferro ferrugento alcançasse o outro local das costas. As dores eram dilacerantes. Cai por terra, questionando, com a voz trémula "por quê?". Todavia, limitou-se a sorrir com orgulho e a eclipsar-se em poucos segundos. 
Pela primeira vez senti que tinha mais para viver e que tudo o que a vida me poderia reservar seria muito melhor que a morte. Pela primeira vez na minha vida, lamentei-me desse triste facto mas nada me poderia salvar. Soltei um grito de dor... não queria morrer daquela maneira.
Os meus olhos esbugalharam-se e deparei-me com Stephen olhando-me com consternação. Senti o meu corpo quente, demasiado quente e uma dor dilacerante no abdómen. Comecei a bradar.
- Por favor, não me deixe morrer! Leve-me para o hospital, alguém me cravou algo no abdómen! Stephen, faça alguma coisa! - pedi-lhe num choro compulsivo. 
Ele levantou o seu casaco que se encontrava pousado sobre o meu tronco e olhou-me com um olhar enigmático. Voltou a colocar o seu casaco sobre o meu tronco e colocou a sua mão sobre a minha testa. Estava gelada e senti um calafrio.
- Ash, não tem nada. Está a alucinar. - disse ele num tom de voz calmo.
Pousei as minhas mãos sobre o local onde me tinham cravado o ferro. Eu sentia-o! Senti-a as dores dilacerantes, o sangue a inundar-me as mãos, mas... como poderia ele não ver?
- Stephen! Por favor! Eu estou a morrer! - disse com a voz mais trémula do que outrora. 
- Respire fundo, feche os olhos e relaxe. Quando eu disser, vai acordar. 
A sua voz era, sem dúvida, uma espécie de calmante. Cerrei os meus olhos e tentei acalmar-me. Fiquei algum tempo sem ouvir nada, sem pensar em absolutamente e, depois, Stephen estalou os seus dedos e eu acordei, colocando logo as minhas mãos sobre o local ferido. As mãos que outrora davam conta de um ferro ferrugento, davam agora conta de um ventre liso e de um vestido. Olhei-o atónita. Ele olhou-me com preocupação.
- Eu... eu... não estava a mentir-lhe! - aleguei.
- Eu sei. - respondeu.
Comecei a sentir novamente frio.
- Como é possível? Eu conseguia sentir!
- Ashley... eu acho que precisa de perceber certas coisas. - começou por dizer. - Há coisas que não conseguimos controlar e que não são realidade. Percebe-me?
- Não. - respondi, sendo sincera.
Ele voltou-se para a janela e começou a caminhar em direcção a ela com as mãos nos bolsos da sua bata. Pela primeira vez apercebi-me que ele a usava.
- Precisa de ajuda. - disse-me num tom sério.
Ri-me dele.
- Você é médico, certo? Vocês têm todos a mania que conseguem melhorar as pessoas e fazer milagres. - fiz uma pausa, reparando que os meus pulsos estavam repletos de agulhas. - Eu não preciso da ajuda de ninguém. - concluí.
No corredor fazia-se ouvir um conjunto interminável de vozes que se dirigiam para o meu quarto. Alguém rodou a maçaneta e cerca de seis médicos, todos vestidos da mesma forma, entraram, dispondo-se em torno de mim, apontando-me para os olhos lanternas e verificando a minha pulsação e dezenas de outras coisas que eu não percebia. Stephen encostou-se a um canto, pousando o seu braço no parapeito da janela. 
As vozes entoavam na minha cabeça. Subitamente as antigas imagens irromperam. Os seus rostos transformaram-se em demónios, exibindo olhos negros e duros. Sorrisos sarcásticos e gargalhadas faziam-se ouvir e as suas mãos tinham-se transformado em garras, precipitando-se para os meus membros superiores, agarrando-os com ferocidade e desfragmentando-os. Começei a gritar ao sentir o osso do meu braço quebrar-se. Aqueles demónios quebravam-me os braços incansavelmente atirando-os para os pés de Stephen que se mantinha impávido. 
Mirei o meu tronco. Os meus braços tinham sido removidos. Olhei para onde se encontrava Stephen mas ele já lá não se encontrava. Os rostos saíram do quarto enegrecido e senti algo a prender-me o pulso. Vislumbrei uma tesoura na minha mão prestes a ser cravada no pulso por mim própria. Stephen estava a tentar impedir-me. Olhei-o e larguei a tesoura. Ele afastou-se, ofegante.
- As pessoas não se transformam. Tu transformas-te, Ash. Tu e apenas tu. - disse-me deixando-se cair sobre o sofá de couro, limpando o suor que rodeava a sua testa. Não imaginava quanto tempo deveria ter estado a tentar cravar aquela tesoura em mim. 
Olhei-o confusa, não percebia como ele não conseguia ver o que eu via. 
- Quem é você? - indaguei confirmando que ele não se transformava em nenhum ser horripilante. 
Ele caminhou lentamente até mim e respondeu calmamente:
- Stephen Smith. Já o tinha desvendado. - fez uma pausa. - Precisas de ajuda. Eu sei como te ajudar, e antes que digas alguma coisa que me impeça de o fazer, eu quero ajudar-te. 
As minhas mãos precipitaram-se para as imensas agulhas que me perfuravam impiedosamente a derme, arrancando-as. Eu não precisava de ajuda! Aliás, todos estavam loucos, insanos e queriam colmatar a sua insanidade tentando fazer com que me internassem num hospital psiquiátrico. Stephen estava distraído. Lancei as minhas pernas para o lado oposto da cama e saí disparada como uma bala, abrindo a porta bruscamente e fechando-a do mesmo modo. Os corredores estavam desertos e as paredes encardidas que me rodeavam oscilavam incessantemente embatendo contra o meu corpo. As faces das enfermeiras e médicos já não eram as originais. As transfigurações tinham-se tornado mais frequentes e acompanhadas de outros elementos mas eu não estava insana. 
Ouvi Stephen clamar o meu nome e passos a precipitarem-se para me apanhar. Comecei a correr com mais velocidade e as paredes que me ladeavam continuavam a oscilar com mais intensidade, derrubando-me e fazendo-me estatelar no chão. A minha cabeça embateu na tijoleira bege cuidadosamente limpa. Olhei para trás e Stephen já estava a uma distância suficiente para me agarrar. Tentei esgueirar-me mas eu não via uma maneira de conseguir passar por entre aquelas restringidas paredes que oscilavam. Dei-me por derrotada e permaneci deitada no chão. Stephen, ofegante, agarra-me nos pulsos fortemente e olha-me. Eu tinha os olhos semi-cerrados e senti uma leve picada no meu pulso direito. O cansaço apoderou-se lentamente de mim, e a única coisa que eu conseguia ouvir era a voz dele, dizendo que não me queria magoar. Nunca, nunca o iria fazer.

P.s Eu voltei mas não voltei de vez!

74 comentários:

Catarina disse...

estou a gostar tanto
nao sei como consegues escrever tanto +.+ eu escrevo uma historia e divido-a em pequenos capitulos nao chegando a mais de 10 e tu postas capitulos enormes e dao pra bem mais que 10 :'o

Catarina disse...

esta historia tbm e diferente das q tenho escrito. tbm cada capitulo e pequeno porque sao dias diferentes e é para nao misturar. sempre podes diminuir os teus capitulos se quiseres. uma amiga minha tbm tem esse receio. :x obrigada :)

Catarina disse...

pois. fazes mt bem em pensar assim :)
não querida por perguntas isso? :bb ahah

Catarina disse...

aserio o.o' ? mas esse nao e aqele qe fez os filmes? ou la oq é? ss:

Catarina disse...

ahah ele foi o q fez o the notebook e isso neah?
nao por acaso nao me inspirei nele nem nada do genero. eu tenho é desse estilo de gosto virado pra esses filmes e tudo o mais. desde q nao seja copia integral fico mais descansada $:

Catarina disse...

ahah entao fico mais descansada $:

мαя™ disse...

Muito interessante *-* quero ver mais disto!
Eu não vou sair do blog, apenas vou passar menos tempo :P Ou pensam que se livram de mim tão facilmente? Desenganem-se!
Eu ainda queria escrever um pouco antes de começar a estudar, mas estou a ver que vai ser complicado T_T
Ah grande Bragaaa!

Beijinho <3

мαя™ disse...

Agora é que a porca vai torcer o rabo! *-*
Opah, a sério, o que eu me ri! Esses gif's eram mesmo de partir a moca a rir :P
Também te desejo muito boa sorte para os exames :) Estarei a torcer por ti ^.^
Eu até posso ser de todas as equipas que ganham ao benfica :P

ana disse...

Pode-se dizer que sim :)
Ou melhor, espero que sim!

мαя™ disse...

Há essas pessoas e aquelas que, digamos, 'sofrem' com isso. Mas, pronto, é a lei da vida u.u'
A única coisa que os rapazes sabem das raparigas é que elas têm peito (e saberem isso já uma sorte...)
Obrigado <3 É mais ou menos aquilo que senti hoje, sadly

Oh God...adorei! ahahahaha! xDD

мαя™ disse...

Fazem fila só para espreitar a nova aquisição o.õ
Eu não me dou com pessoas mais velhas, apenas com pessoas que estão um passo à frente xD

Bee :D disse...

Amei!
Estou sem palavras!
Beijinhos Bee*

karina disse...

adorei :)

Rita Farinha disse...

adorei

Rita Farinha disse...

Oh, de nadaa

Isabel disse...

Está linda, gostei muito *-*
E obrigada.

S.alves disse...

Está cada vez mais interessante :D

мαя™ disse...

Concordo contigo quando dizes que alguns comportamentos de miudas da nossa idade te irrita. É a ti e a mim u.u eu digo mesmo que sou uma conservadora, apesar de ter 16 xD
Se queres que te diga, isso também me acontece várias vezes. Não sei se é por não conhecer-mos a pessoa e por isso estar-mos mais à vontade com ela se é porque já conhecemos tão bem aquelas que estão na nossa 'vida' que já nem ligamos :P

marianasalt disse...

es muito querida! amei o texto!!!

Evanir disse...

Testo da net

Minha mãe E sua Mãe
Que ao dar a benção da vida, entregou a sua...
Que ao lutar por seus filhos, esqueceu-se de si mesma...
Que ao desejar o sucesso deles, abandonou seus anseios...
Que ao vibrar com suas vitórias, esqueceu seu próprio mérito...
Que ao receber injustiças, respondeu com seu amor...
E que, ao relembrar o passado, só tem um pedido:
DEUS, PROTEJA MEUS FILHOS, POR TODA A VIDA!
Para você mãe, um mais que merecido:
Feliz Dia das Mães!
Você merece!!!
Meu abraço meu carinho para você
amada amiga.
Feliz Dia Das Mães.
beijos e beijos com infinita
ternura,Evanir.
www.aviagem1.blogspot.com

Nosso Dia Das Mães..Brasil

мαя™ disse...

Também acho que depende da educação que nos é dada. Conservadores ao poder! xD
Já somos duas. Percebo perfeitamente que dentro do blog sou uma pessoa, considero que sou mesmo eu, enquanto que no mundo real, digamos assim, já não sou tanto como sou aqui. Que dilema u.u
Eu gosto dos dois <3
Como diria a Hannaj Montanna: You get the best of both worlds x3

мαя™ disse...

Eu ando a ver Hannah Montanna! Um dia o Jackson ainda será meu xDD
Eu percebo-te perfeitamente :)

мαя™ disse...

É o irmão mais velho e palerma da Hannah Montanna 8D
Eu já vejo o Disney Kids ;-; porque acordo bastante tarde e já está a dar a BBC xD

S.alves disse...

Não te preocupes com isso porque sou bastante directa (às vezes até de mais) e o que tenho a dizer digo e sinceramente, raramente me importo se os outros gostam de ouvir ou não o que tenho para dizer, mas na minha ideia, é preferivel ser sincero e dizer as coisas, do que só dizer por trás e pela frente só elogiar e incentivar, por isso se algum dia não gostar de algo, não te preocupes que serei logo a primeirinha a dizer-te, não com a intensão de te deitar abaixo, mas sim sendo sincera e talvez dar-te novas ideias (:
Ai pensar, bem que precisava de o fazer, mas ando com uma preguicite aguda que não me apetece fazer nada, só de saber que tenho montes de coisas de Biologia para estudar até me dá uma coisinha má e a pior parte é acreditar que mal lhe vou pegar ._.

мαя™ disse...

Mas estás a gozar ou quê, minha menina? ù.u
Jensen Ackles? Sim, pois! Nada de te meteres com o meu 3º marido, tá? *hunf*

Just kidding xD

мαя™ disse...

E não nos podemos esquecer do Misha *-* que faz de Castiel e do Jake que é o Lúficer (salvo erro) <33

мαя™ disse...

Ah então, o Jake Abel é outro...não, esqueci-me do nome!! Não pode ser T_T só sei que o Castiel lhe atira com água benta e lhe chama 'assbutt' e o Dean fica a olhar do género 'assbutt? really?' xD
Esqueci-me do nome dele T_T
Ai aquele Bobby! 8D

мαя™ disse...

Isto demonstra o quanto eu sigo a série *facepalm* Eu descobri o Jake Abel por outro filme, o Percy Jackson and the Lighting Thief *-* foi engraçado
Eu gosto de um episódio em que o Dean envelhece porque jogou poker com um bruxo, em que se apostava anos de vida. Adorei esse episódio. O Bobby estava sempre lá a dizer qualquer coisa do género 'isso chama-se gases' xD

Catarina disse...

ahah por teres achado isso fui dizer a minha mae e ela disse-me q tinha sido dos melhores livros q tinha lido e acho q vou ler um deles ahah :b

Bee :D disse...

Haha, isso é um completo desconhecido para toda a gente!
Acho que ainda vai haver muita coisa pelo meio :p

Catarina disse...

qual foi o livro q leste dele?

Catarina disse...

as palavras q nnc direi acho q foi oq a minha mae amou. o outro tenho q ler e o terceiro nao conheço. acho q aqi em minha casa tenho o coraçao em silencio. acho q e assim q s chama

Bee :D disse...

A intenção é ser diferente!
E muito obrigada querida!
És muito, mas muito querida :]

Catarina disse...

tenho q ver. obgda pelas opinioes :))

Bee :D disse...

Mas há uma coisa. Eu apenas consigo relatar a história, porque para mim os pormenores são casos há parte e muitas vezes não os consigo encaixar :p

Bee :D disse...

Mas eu leio bastante. O problema é que também passo as partes "desinteressantes". Acho que o único em que não salto partes é no "O Perfume", que estou a ler agora.

Bee :D disse...

14, sou novinha ainda :p
Mas dizem que não parece, tanto de físico como de psicologico XD

Bee :D disse...

Eu quando tinha uns 9/8 anos pus-me a ler o "Os filhos da Droga" Mas não percebi nada, é mais um para a minha wishlist :p

мαя™ disse...

Tens noção que eu fiquei a olhar para o comentário do género 'oh meu deus o.õ'
A isso é que se chama ser fã! :P
Também gostava de saber isso tudo sobre a série *-*

Bee :D disse...

Obrigada pelo conselho :]
Um que li e também foi o "Segue o teu Coração, nunca olhes para trás" a autora é que já não sei :p

Bee :D disse...

Pois, eu nunca cheguei ao fim, porque com 9/8 anos, não se consegue compreender bem o que é o mundo da droga. Mas acho que o livro é um bocado dramático também, porque acho que no fim a rapariga morre.
É só uma questão de o ler, e depois comento contigo ^^

мαя™ disse...

Só a minha turma é que é uma cambada de enjoados --' xiça...
Um dia ainda vou ver os episódios todinhooooooos! ò.ó

E aí nós conversamos!

мαя™ disse...

A sério! Às vezes pergunto-me se sou do mesmo planeta que eles xD
Eu nem posso dizer que gosto e vejo anime que eles começam logo a gozar xDD

Catarina disse...

sim. muito obrigada mais uma vez

мαя™ disse...

Como eu te entendo! u.u
Eu gosto mais comédias, porque a vida já por si é um drama xD Mas gostos são gostos e ninguém tem nada que dizer 'ah isso não presta para nada'

Cambada de tótós! xD

мαя™ disse...

É ouvir e andar :P
O mesmo se passa aqui, infelizmente u.u

мαя™ disse...

É ouvir e andar :P
O mesmo se passa aqui, infelizmente u.u

S.alves disse...

Eu também acho, até pode magoar, mas ao menos não se cria ilusões :\
Para ser sincera nem me lembro do que estou a dar e nem tenho vontade de pegar nos livros e quase que já se foi um fim-de-semana ._.
Acho que vamos ter de tomar uns comprimidos daqueles que faz ter uma vontade enorme de devorar os cadernos e livros da escola ahahah

Sim, eu também :D

mary b disse...

olá meu anjo. não :o, é apenas um texto! mas talvez comesse uma nova história (:

Cassie disse...

Sabes nao sei se o teu concurso ainda está de pé, mas fiz bruta poema que vou mandar para o professor Manuel Rebelo de sousa , é sobre o país . E queria a tua opinião :)

Joana Patricia Fonseca Silva disse...

Gisteu muito :D

Rita Farinha disse...

tenho um selo para ti no meu blog*

Sara'C disse...

Tenho um selo no meu blog para ti.
É o 12# selo (:

Rita Farinha disse...

de nada

Sara'C disse...

Não agradeças :D

Cláudia* disse...

Gosto, estou a seguir ;)

мαя™ disse...

Padecemos as duas da mesma coisa :P
Quando me picam eu também respondo...ou amuo xD

lara beatriz disse...

obrigada querida :)
adorei mesmo, é certo que ainda é um pouco confusa mas tem um encanto que me cola totalmente ao ecrã do computador *-*

sarah. disse...

Gostei muito do blog :)
Vou seguir*
Beijinhos doces!

Ricardo Mendes disse...

penso que o facto de seres ''estranha'' só te torna especial e muito mais do que tu julgas. Porque é isso que eu sinto quando eu entro neste blog, que a pessoa que o escreve tem a capacidade de ser diferente, de ser especial em tudo aquilo que escreve e que faz. Por isso acho que se és estranha, estás de parabéns :)

Soraia Torres disse...

tenho um selinho no meu blog para ti ♥
é lindo ler os teus textos , escreves tão bem , meu Deus :o
PARABÉNS !

sarah. disse...

Obrigada eu! Amei o texto, e o blog está fantástico :)

sarah. disse...

Pois, tens toda a razão em tudo aquilo que escreves-te. Sem dúvida que a última suposição é a que mais se repete, e é claro que vou seguir em frente :)
Esta história está a ficar super gira!
E muitos beijinhos!

®afÆlla disse...

Verdade, os animais são incríveis...
Lindo *-*

PARA ALÉM DA DIMENSÃO DE TI disse...

Mudei a morada do blog para : www.umnovoinicio.blogspot.com

Soraia Torres disse...

Ora essa , tu mereces o selo ;D
Sim tens razão , é sempre bom ouvir isso , e melhor ainda qando é dito com sinceridade .. Mas tu deves ler muitos comentários bem , pois acho qe toda a gente sabe reconhecer o teu talento !
Sim , minha qerida , não te preocupes com isso , eu sei bem o qe é a falta de tempo !

Beijinhos <3

lara beatriz disse...

Oh, obrigada :$ na minha opiniao, ao lado dele sou mesmo um zero à esquerda :) Também tinha de o ser dado que está ainda a 'aquecer', nao sei bem, talvez haja um romance entre Ash e Stephen embora ache que ela nao se irá esquecer tao rapidamente de Logan mas ainda vem muita coisa e certamente irá mudar totalmente o que acho (agora) :) beijinho!

Soraia Torres disse...

Pois nisso tens razão , mas tu não tens razões para não ter segurança em ti o naquilo qe fazes , porqe fazes muito bem ;)
Ainda bem qe pensas assim , eu também penso , e acho qe é muito bom , até para qem comenta !
Beijo grande :D

sarah. disse...

Gostar? Eu estou a adorrar querida!

lara beatriz disse...

É o que eu acho, mas pronto muito obrigada :) Na àrea do romance também é o que mais gosto de ler. Fico contente por gostares da maneira que escrevo, entao *-* Também eu e nao é transtorno nenhum, :) beijinho

Al* disse...

Ah, estou a deprimir sem ter mais um capitulo desta história .. entretanto, tens um selinho para ti , no meu blog ;)

мαя™ disse...

Nem te digo nada <.< a rapariguinha consegue mesmo ser depressiva, às vezes

beijinho *-*

Soraia Torres disse...

Pois , apesar de desnecessário é muito frequente , e se calhar com receio , ate se faz melhor as coisas ;)
Sim , nisso concordo contigo , nem que seja tarde devemos sempre comentar , qem nos da valor , pois são eles que nos aajudam !
oh , para ti também *.*

Victória J. Esseker disse...

EPIC!