Click here!

Se quiseres podes ver as minhas "histórias". Clica em "Minhas Histórias"!

sábado, 21 de maio de 2011

Através da minha janela

De manhã acordei com um impetuoso trovão que me fez estremecer. Por norma, não me assusto. Costumo correr até ao parapeito da janela para vislumbrar o espectáculo de cores exibido num céu com uma tonalidade negra. Para meu espanto estava azul e apenas umas nuvens sobejavam, dispersas, quase inofensivas no céu. Repentinamente outro soou e eu finquei os meus cotovelos ao parapeito da janela do meu quarto saboreando aquela energia que me revitaliza. 
Lembro-me que quando tinha cerca de catorze anos abominava trovoadas e que num dia de Verão o meu tio disse: "Vai trovoar". Ora como eu tenho uma boa relação com o meu tio começei a troçar e a questionar como era possível num dia tão lindo trovoar. Instalei-me na mesa do meu jardim com o computador a pesquisar umas coisas para a minha prima até que, subitamente, uma gotícula atingiu o meu nariz e o céu estava enegrecido. Arrumei as minhas coisas, saí de "fininho" para não ser alvo de chacota por parte do meu tio e fui para dentro de casa porque me cheirava que vinha tempestade. Nessa altura a minha casa ainda não tinha uma parede que impedisse a entrada de chuva para o pequeno passeio. (a minha casa é muito estranha. É natural que não tenham percebido esta coisa da parede.) Tive de me deslocar para a cozinha do anexo e o meu tio estava lá a olhar para as nuvens. Lembro-me como se fosse hoje.
- "Fica aí." - disse-me
Sempre fui obediente para ele, portanto obedeci, questionando.
- "Por quê?" - inquiri.
- "A trovoada aproxima-se. Vais perder o medo."
A questão da obediência deixou de fazer parte dos meus planos e por isso tentei sair à socapa porque eu tremia de cima a baixo com o som dos relâmpagos. Não tive hipótese. Tive mesmo de ficar lá. 
- "Não tens de ter medo. Quando se ouve o som, o pior já passou, portanto não tens de ter medo."
Para dizer a verdade, sempre achei-o uma pessoa muito culta embora não tenha nenhum tipo de curso na universidade mas percebe imenso de Física, Química, Política e muitas outras coisas. E pronto, começou a explicar-me métodos para "adivinhar" o estado do tempo. Confesso que sempre tive um jeitinho especial para essas coisas e gostava muito quando se dava em Geografia os ciclones e os anti-ciclones e todas as outras coisas ligadas com a meteorologia. E hoje consigo prever com base nas nuvens, nos ventos e ninguém se acredita em mim, mas normalmente acerto. 
A verdade é que passei quase duas horas a conversar e a vislumbrar os raios a descerem até ao solo, ficando no final maravilhada com toda a ciência por detrás de algo que parece não ter grande significado. 
Recordo-me que a partir daí fiquei a adorar o local onde moro e a minha casa. A minha casa situa-se num meio rural esplêndido. Da janela consigo ter uma paisagem semelhante àquela que se vê naqueles wallpapers de paisagens fantásticas. Quando olho através da minha janela, parece que estou a Irlanda repleta de árvores resplandecentes com toda a sua magnificente verdura, exibindo flores campestres nos grandes campos que se estendem! É realmente maravilhoso num dia tempestuoso fincar-me à janela e admirar a paisagem, tirando fotografias. É algo que eu gosto. Eu adoro a Natureza e a sua magnificência e apercebi-me que gostava de "casa" naquele dia! E apercebi-me que o meu tio não queria que eu fosse mais uma da casa com temor a trovoadas, sabendo que me podia desviar desse caminho como sempre fez. 
É por estas e por outras que eu sou incapaz de me habituar a Lisboa embora anseie ir para o estrangeiro. Enfim... acho que sou como o Cesário Verde que sente a necessidade de sair da cidade "pestilenta" e voltar para o campo mas eu consigo estar instalada em todas as cidades excepto Lisboa e não percebo porquê. 

19 comentários:

Rafa disse...

:D

aR disse...

Juro que cada texto teu que leio fico tão presa a ele... É quase inexplicável! E depois a musica também ajuda! Está simplesmente perfeito!

tânialopes! disse...

está lindooooo :o

Eliana Correia. disse...

também adoro ficar a olhar para os relâmpagos (:

Eliana Correia. disse...

Obrigada pelo conselho :)
Acho que já ando a conseguir convencer os meus pais a meterem-me numa escola de dança. :)

Eliana Correia. disse...

ahah :b deixa lá, até é agradável olhar e ver um comentário assim grande (x

łnn ۞ disse...

Obrigada querida!
O teu texto está... Ou melhor eu estou K.O com este texto :D

łnn ۞ disse...

A tua missão não foi cumprida ahah

łnn ۞ disse...

'Course :D

мαя™ disse...

É isso mesmo! \m/

Bee :D disse...

Lindo!
Se há coisa que adore são trovoadas :]

Eliana Correia. disse...

obrigada :)

мαя™ disse...

Novo capítulo, publicado!

мαя™ disse...

Ooooh! Muito obrigado =$
Estava a escrever um bocado à força, mas espero que tenha ficado bem e do agrado de todos, ou quase todos :)
O Will é um galã 8D
A principio achei o sonho um pouco demais (por causa, da idade de ambos) mas depois pensei 'oh eles estão mais para adultos do que propriamente putos!' Eu dou-te um Will pelo Natal, se quiseres.
O próximo capitulo, não sei quando sai T_T damn school!
Obrigado :)

мαя™ disse...

Será, mesmo um protótipo? >:)
Então, não percas o próximo episódio, porque nós...também não! :P

E tu? Quando é que publicas mais dessa história sensual? D:

мαя™ disse...

O Will é um tipo porreiro 8D saiu a mim (not)Sendo loiro dá-lhe aquele toque do Can't Touch This xD

Boa sorte para o TI :)
Eu não tenho nada disso *-* mas tenho exames de geografia e francês <.< enfim!

Go, Hayley! <3
Boa sorte para isso tudo

мαя™ disse...

Isto foi só para me gabar um bocado :P
Quando tinha matemática também era um bocado assim <.< era horrível! Eu tinha 4 e 90'% àquilo e agora não passo do 13 xD que vergonha! podes crer, sobretudo para geografia u.u mais vale ler do que ir à aula, mas pronto :P

Gonçalo disse...

um post e tanto :D adorei simplesmente :)

B disse...

Adoro os teus textos, tens muito jeito, vou seguir :)